terça-feira, 21 de abril de 2009

Politicamente (in)correcto - 2 (Datas e horários)

As datas e os horários. Pois é, aqui chegamos às organizações...
Organizar não é fácil, é muito mais fácil criticar, no entanto há coisas que darão sempre o mesmo trabalho, como sejam a escolha das datas.
Não podemos escamotear que o calor prejudica imenso o desempenho de cães e caçadores (e porque não dos juízes!). Quando da elaboração de um calendário de provas, seria (a meu ver), muito importante ter em atenção que, quanto mais perto do Verão, mais difíceis se tornarão. Também a geografia da região tem influência, sabido que é que o sul é mais quente que o norte.
Tenho por ideia que as provas (pelo menos as oficiais, claro), deveriam começar pelo mês de Março e terminarem em Junho. As particulares poderão ser quando as entidades que as organizam quiserem, ficando ao critério dos caçadores a sua participação.
Fazerem-se provas com temperaturas de 30 graus, é uma violência para todos os intervenientes e mais ainda para os cães.
Outro problema que me parece importante, é o cumprimento dos horários marcados. Raras serão as provas onde os horários são cumpridos. Aqui a culpa é de todos! Mais ainda dos concorrentes, que devendo ser os primeiros interessados, acabam por chegarem tarde.
Sei que a parte logística e social é importante e que, por vezes, pode atrasar as coisas, mas que sejam os participantes a dar o mau exemplo, isso é que me custa aceitar.
Alguém gostará de iniciar a sua participação às 13 ou 14 horas, com calor e sem vento? Penso que não. Essa seria (quando muito!) a hora da barrage final. Isto caros amigos, diz respeito a todos e seremos nós (concorrentes), os principais interessados.
Deixo uma palavra de apreço pelas organizações da FENCAÇA, onde realmente se cumprem os horários. E se nessas todos chegam a horas, porque razão também não chegam nas outras?
Fica aqui o meu apelo para que se respeitem as horas marcadas e, sobretudo, que se respeitem mais os nossos companheiros de quatro patas!