domingo, 23 de setembro de 2012

Politicamente in(correcto) - 23 (capítulo final)

Quando em Dezembro de 2011 escrevi que "o Rei vai nu" (ler aqui), de alguma forma já previa o triste desfecho a que estaria sujeito o Santo Huberto em Portugal. Hoje, mais do que uma previsão, tenho uma certeza: o Santo Huberto, tal como o conhecemos, está ferido de morte, moribundo e em vias de extinção.

Depois de um Campeonato Nacional, organizado pela Fencaça, pobre, fraco, sem brilho e, até, ilegal em determinados aspectos, por não cumprir o regulamento, chegou agora a "bomba" final: a Fencaça não vai suportar a deslocação dos concorrentes seleccionados ao Campeonato do Mundo! Irá entregar 400€ a cada um e, agora, desenrasquem-se! A um mês da prova, comunicam aos concorrentes que afinal as regras mudaram. Agora é assim, e quem quer vai, quem não quer fica. Ponto final! Mais uma pérola da Fencaça! Para os mais distraídos devo alertar que Natalinci, na Sérvia, fica a mais de 3.000Km de Portugal. A correr bem (e com 400€), dará para ir até Badajoz, comprar caramelos e voltar... Daria até para rir, se não fosse tão grave.
Estes concorrentes foram enganados, e defraudados nas suas expectativas. Quem os compensa por tudo aquilo que investiram na sua preparação? Quem se responsabiliza por tudo isto? Como se permite que isto aconteça, sem que haja consequências?

E a Taça da CNCP? Que é feito dela? Alguém comunicou aos cerca de 30 concorrentes apurados para a final, que não se realizará? Não teremos (pelo menos), direito a um simples esclarecimento? Será que estão à espera que, pura e simplesmente, a "coisa" seja esquecida? E o investimento feito pelas várias federações e participantes, nos campeonatos regionais? É tudo para esquecer?
Sei que foi proposto à direção da CNCP (por um grupo de participantes), um modelo diferente do habitual (exagero) das finais da Taça. Sei que parte dos custos seriam suportados pelos mesmos participantes, de forma a que a CNCP não fosse tão "económicamente pressionada", contudo, nem assim esta entidade decidiu (ainda) avançar com a prova, ou com a decisão. Estão à espera de quê? Será muito difícil dizer Sim ou Não?

Que futuro nos estará reservado? Podemos até tentar ser compreensivos e entender que a situação do país é muito complicada e isso reflecte-se, indubitávelmente, na modalidade, mas neste caso os interessados (concorrentes), estão empenhados em ajudar a encontrar soluções. Nós não somos o problema, antes queremos fazer parte da solução. Será que os srs. dirigentes ainda não entenderam isso e, mais ainda, não querem capitalizar esse facto?

Algo terá de mudar radicalmente. O destino do Santo Huberto tem de estar nas mãos de quem dele gosta, não de quem apenas o tem usado para se promover.
Srs. da Fencaça e da CNCP, está na hora de ouvirem quem por aqui anda por amor à modalidade. De quem "vive e respira" Santo Huberto e está disposto a trabalhar em prol da causa. Aliviem o vosso "fardo"...