segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

IV Taça da CNCP- Resultados


Realizou-se este fim de semana a final da IV Taça de Santo Huberto da CNCP.

O evento teve lugar em Dois Portos, organizado pela Oestecaça e com o apoio da Associação de Caçadores de Dois Portos.
Presentes 22 concorrentes, em representação de 8 federações regionais, que tinham sido préviamente apurados nos respectivos campeonatos.



A concentração teve lugar no restaurante O Caçador, onde após o tradicional taco e a verificação da constituição das 3 séries, se partiu para os terrenos da prova. Estes eram muito típicos daquela região do Oeste, com coberto de feno, algum mato, silvas e com a inclinação orográfica tradicional. Paisagem belíssima, onde a vista se perde no horizonte.
O forte vento que se sentiu no primeiro dia complicou muito a vida a caçadores e cães, prejudicando as prestações de ambos. No segundo dia o vento diminuiu bastante, permitindo que as condições fossem muito mais favoráveis.
Foram juízes da prova: Série A - José Pedro Leitão e Samuel Lourenço; Série B - João Lisa e Paulo Filipe; Série C - Joaquim Rosa e Fernando Fonseca.

Passaram à barrage final o primeiro classificado de cada série, tendo a classificação individual ficado assim ordenada:

1º Correia da Silva, PP
2º Diogo Silva, BA
3º Carlos Borrego, BA
4º Nuno Godinho, BA
5º Alberto Henriques, SI
6º Rui Bonito, P
7º Carlos Pires, P
8º Rui Pinto, SI
9º César Sousa, EB
10º Luís Figueiredo, P
11º Paulo Veloso, P
12º Fernando Henriques, EB
13º Ludgero Santos, P
14º José Conceição, BA
15º Dinis Faria, P
16º José Dias, BA
17º Alexandre Magalhães, BA
18º Miguel Martins, SI
19º Carlos Paiva, EB
20º Marcolino Pedro, SI
21º Marco Tavares, EB
22º Rui Vaz, SI

Classificação por equipas:
1º FAC - Carlos Borrego, Nuno Godinho e Alberto Henriques
2º FCCPDV - Diogo Silva, Rui Bonito, Paulo Veloso

Troféu para o melhor cão: Sevilha, BA, de Nuno Godinho

O almoço de encerramento e a entrega de prémios teve lugar no restaurante O Caçador, onde os representantes das entidades presentes salientaram o momento dificil em que se deparam as instituíçoes, fazendo no entanto votos para que o Santo Huberto consiga encontrar o seu espaço nesta nova realidade e mantenha a importância nacional que a modalidade aufere.
Foi uma boa organização, num figurino novo e adaptado às actuais contingências, com a importante ajuda também dos concorrentes, mas que dignificou a modalidade e a sua importância no seio dos caçadores portuguêses.