segunda-feira, 9 de setembro de 2013

V Taça de Stº Huberto da CNCP - Resultados


Realizou-se no passado fim de semana a final da V Taça de Santo Huberto da CNCP. O local escolhido foi Linhares da Beira e a organização esteve a cargo da FCPBI.
A concentração dos participantes foi na 6ª feira, em Celorico da Beira, tendo ficado alojados numa unidade hoteleira da região e de onde partiam para o local da prova.
Presentes 19 concorrentes, em representação de 7 federações, a maior parte dos quais tiveram de suportar os custos das inscrições e da deslocação, fruto do momento de crise financeira que atravessam as federações. Ficou mais uma vez provado que se o Santo Huberto acabar em Portugal, não será, nunca, por causa dos concorrentes.
Foram formadas três séries, contando cada uma com um representante de cada federação. Ao longo dos dois dias de prova as séries rodavam no sentido dos ponteiros de relógio.
Os campos das provas eram bastante técnicos, típicos de caça daquela região beirã. O tempo, embora aquecendo ao longo das manhãs, manteve-se com temperaturas dentro do normal para esta época.
No final, passaram a uma barrage o primeiro de cada série, para a definir os três primeiros lugares e o segundo de cada uma, para apurar os 4º, 5º e 6º classificados.
Foram juízes da prova: José Pedro Leitão, Joaquim Rosa, Jose Manuel Charneca, José Gonçalves, Fernando Fonseca, Paulo Filipe e Sandra Esteves.

Classificação final:
1º Alberto Henriques, SI
2º Carlos Borrego, BA
3º Rui Bonito, P
4º Luis Figueiredo, P
5º Manuel Agonia, BF
6º Fernando Henriques, BA
7º Carlos Paiva, EB
8º Nuno Godinho, BA
9º Rui Pinto, SI
10º João António, EB
11º Maximino Barbosa, BF
12º José Silva, SI
13º Rui Vaz, SI
14º Luís Delgado, EB
15º Alexandre Magalhães, BA
16º Vitor Almeida, PP
17º Paulo Veloso, P
18º Paulo Vieira, BA
19º David Faria, SI












Equipas:
1º FAC
2º FCPBI
3º Oestecaça




Foi um fim de semana bem passado, com a organização a tudo fazer para que os intervenientes ficassem bem instalados e a orgânica da prova no terreno corresse pelo melhor.
Uma palavra de apreço para a CNCP e de agradecimento para a FCPBI que, numa conjunctura difícil, meteu mãos à obra e conseguiu arranjar os apoios necessários para organizar esta final. É deste tipo de arrojo e iniciativa que a modalidade precisa.
Um agradecimento também aos juízes presentes que, mais uma vez, deram a sua imprescindível colaboração para que fosse possível realizar esta final.