segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Final do Cº Nacional da CNCP, 2017 - Cadaval


Decorreu no passado fim de semana, no Cadaval, a Final do Campeonato Nacional da CNCP, 2017. Organizado pela Oestecaça (Federação das Zonas de Caça do Oeste), e tendo como anfitriões a Associação de Caçadores do Concelho do Cadaval (ACCC), contou com a presença de 27 concorrentes em representação das sete federações que constituem a Confederação Nacional dos Caçadores Portugueses e as R.A. dos Açores e da Madeira.





Cumprindo a tradição e o programa pré-estabelecido, a concentração e o jantar de abertura tiveram lugar na sexta-feira, no pavilhão dos B.V. do Cadaval. Esta instituição humanitária recebeu-nos como sempre, com a qualidade e o acolhimento a que nos habituaram noutras ocasiões.
Após o jantar seguiu-se a cerimónia oficial de abertura, com as boas vindas às comitivas presentes e os tradicionais agradecimentos às entidades patrocinadoras que apoiaram a iniciativa.





Antes do sorteio da séries, foi apresentado um vídeo onde era exaltado o espírito que deve assistir a esta modalidade e a relação dos praticantes com os seus companheiros de quatro patas, sendo estes membros de uma família, que não se reduz apenas à vertente humana. 



Um momento bonito, onde a mensagem que pretendeu transmitir foi recebida com muita emoção. Está de parabéns a Mafalda Leitão, pela sua iniciativa.
Para ver o vídeo: Clicar Aqui



A concentração nos dias das provas e as refeições foram em Alguber. Alguber e as suas gentes, são um exemplo de bem receber. Já não é a primeira vez que acolhem os santo-hubertistas, mas de cada uma delas conseguem aumentar a dose de hospitalidade. Será, porventura, injusto individualizar alguém, mas devo que mencionar o Sr. Pratas, uma pessoa que, não sendo sequer caçador, é incansável para tentar agradar a todos.



Os campos das provas eram algo diferentes entre eles. Embora típicos daquela região, várias circunstancias originaram essas diferenças. Algumas que não podem ser controladas pela organização, uma vez que os proprietários dos terrenos têm uma agenda própria. Mas, no computo geral eram de boa qualidade e adaptaram-se à modalidade.

Foram juízes da prova: José Pedro Leitão, Joaquim Rosa, João Lisa, Vítor Serrano, José Gonçalves, Fernando Fonseca, Sandra Esteves, Paulo Rocha e Paula Estrelo.
Delegados de campo: Sandra Plácido, Paulo Filipe e Fernando Henriques.
Postores: Hilário, José Comenda e Renato.

Segundo o regulamento da CNCP, foram apurados para a barrage final os primeiros classificados de cada série no conjunto dos dois dias, com vista a apurar os três lugares do pódio.



Resultado final individual:
1º Jorge Piçarra, EB (FCA)
2º João Gil, BA, (Oestecaça)
3º Luís Delgado, BA, (Oestecaça)






Resultado final equipas:
1º Oestecaça
2º FCA
3º FACIRC







Troféu Melhor Cão:
Voss, BA, de João Gil








De salientar a boa organização e a logística empreendida pela ACCC, com o seu presidente João Pereira à frente de um grande staff e a tudo fazerem para que a máquina estivesse sempre funcionante e sem falhas. A grande experiência que esta equipa tem deram a garantia que um evento desta natureza, e importância, precisava.







A Oestecaça também cumpriu o seu papel de organizadora. Uma final deste tipo, com tanta gente envolvida, dá muito trabalho. São meses de preparação, de planeamento, de contactos e, sobretudo, de escolhas. Só quem nunca fez nada é que pode achar que tudo é fácil. Penso que terão sido tomadas as melhoras escolhas possíveis e este fim de semana não comprometeu nem a modalidade, nem a imagem desta federação.





Um reconhecimento especial por todo o apoio dado pela CM do Cadaval, sem o qual tudo isto não teria sido possível. Esta autarquia tem um grande carinho por este tipo de eventos cinegéticos e é um parceiro de grande importância mesmo a nível nacional.




Temos de saber separar a Estrada da Beira, da Beira da Estrada. Os resultados desportivos e os juízos feitos por quem de direito, não podem ser confundidos com a organização. São responsabilidades diferentes e não devem ser misturadas. A insatisfação de uns, é a alegria de outros, mas para haver vencedores, tem de haver vencidos. 
Não sei se "para o ano há mais", uma vez que não foi feito esse anúncio, mas gostaria muito de voltar a estar presente numa destas finais. Caberá às instituições fazerem o respectivo trabalho de casa e a não deixarem "morrer" tão bonita tradição.


(Dixit: Mafalda R. Leitão)